Saiba O Que Muda Com As Novas Regras Do You Tube A partir Dia 20 De Fevereiro 2018 - Remape Serviços

CANAL YUTUBE

Saiba O Que Muda Com As Novas Regras Do You Tube A partir Dia 20 De Fevereiro 2018

Saiba O Que Muda Com As Novas Regras Do You Tube A partir Dia 20 De Fevereiro 2018

Novas Regras na Monetização do You Tube Requer 4,000 Horas e 1,000 Inscritos no Canal Para Poder  Gerar Receita.

Saiba Tudo Que Muda e Como e Quando Entra em Vigor as Nova Regras.

A monetização no YouTube é baseada no chamado YouTube Partner Program, que permite o cadastro gratuito de produtores de conteúdo que já possuem uma conta na plataforma.


Saiba O Que Muda Com As Novas Regras Do You Tube A partir  Dia  20 De Fevereiro 2018


Até esse ano, diversos tipos de produtores de conteúdo poderiam ganhar dinheiro com anúncios veiculados no início de seus vídeos. Os pré-requisitos para ser aceito no YouTube Partner Program eram:

--Mostrar claramente que você produz conteúdo original;
--Produzir conteúdo em uma frequência regular;
--Possuir conteúdo que obedeça às regras da Comunidade do YouTube;
--Estar localizado em um dos países da lista do Partner Program.
--Assim, era mais fácil começar a ganhar dinheiro com vídeos, ainda que fosse em pequena quantidade.

A partir desse cadastro, o processo era relativamente simples: caso aprovado no programa, seu canal poderia começar a veicular anúncios. Por meio da AdSense, a plataforma oficial de anúncios da Google, anúncios seriam veiculados em alguns vídeos, de acordo com a escolha automática do sistema. Portanto, seu lucro viria a partir da quantidade de cliques em anúncio ou tempo de publicidade assistido pela sua audiência.

Se Você Ainda Não Conseguiu Essa Meta de 4,000 Horas e 1,000 Inscritos Veja Esse Vídeo Com Uma Dica e Aproveita Se Inscreve No Canal.

Nosso Link Para Se Inscrever No Canal

Por que mudou?
Pela aparente simplicidade de monetização, muitos produtores se aplicavam ao programa e isso dificultava a validação dos canais que seriam aprovados. Além disso, os anunciantes não tinham controle sobre os vídeos em que seus anúncios apareciam: a escolha de em que conteúdo a publicidade aparece era totalmente do sistema (que, por sua vez, é baseado em um algoritmo e não em uma validação do YouTube em si).

Consequência: um grande número de propagandas era veiculado em vídeos considerados ofensivos e censuráveis.

Por Esse Motivo as Empresas Que Vinculavam Seus Anúncios Aos Vídeos Começaram a Reclamar de Muito Vídeos Sem Conteúdo ou Com Baixo Nível.

A primeira mudança
Assim, já em 2017, o YouTube fez a sua declaração sobre o ocorrido, tomando novas posturas com relação ao Partner Program. A partir de então, o sistema de elegibilidade do Partner Program se alterou, de modo que o produtor de vídeos devia obedecer a um novo pré-requisito antes de se candidatar: ter mais de 10 mil visualizações em seu canal. Assim, de acordo com a equipe do YouTube, haveria maior validação dos produtores que poderiam ganhar dinheiro com seus vídeos, garantindo que anúncios não estejam vinculados a vídeos ofensivos.

Porém, aparentemente, apenas essa medida não foi suficiente para evitar que conteúdos abusivos fossem monetizados e, em meados de novembro, mais marcas saíram do YouTube após um novo escândalo.

Então, no dia 16 de Janeiro, a plataforma novamente anunciou mudanças em sua forma de monetização e, com elas, parece que vai ficar ainda mais difícil ganhar dinheiro com um canal no YouTube.

Entenda:
O que muda a partir de 2018?
Bastante em função do recente escândalo com o youtuber  (que exibiu o corpo de uma vítima de suicídio em seu vídeo e mesmo assim estava tendo o conteúdo destacado e monetizado), o YouTube mudou novamente suas regras de monetização. A partir de agora, todos os canais que quiserem ganhar dinheiro com a plataforma serão analisados criteriosamente, não apenas pelo número de visualizações, mas também pelo tipo de conteúdo, engajamento dos usuários e mais.

Por isso, começando a valer imediatamente, somente canais com pelo menos 1 mil inscritos e no mínimo 4 mil horas de conteúdo assistido nos últimos 12 meses serão validados para o programa de monetização.

Os canais já existentes que estão ativos para monetização mas não cumprem os requisitos, serão reavaliados e removidos do programa até o dia 20 de fevereiro.

A plataforma também irá revisar manualmente as violações das regras da plataforma, spam e denúncias para garantir que os canais estejam de acordo com as diretrizes do site. Todos os canais atualmente ativos para monetização serão avaliados automaticamente.

Além do mais, agora o YouTube garante que será mais transparente com seus anunciantes e promete dar mais informações sobre onde suas propagandas estão sendo veiculadas e como elas estão sendo consumidas.

A promessa é de que a rigidez com os produtores aumente e se isso é bom para as marcas, pode acabar atrasando e impedindo a monetização em diversos canais – independente do seu tamanho.